CLIQUE AQUI...
 
CEPAV NEWS    
 
 
  CEPAV Menu
    CEPAV News
    Assessoria
    Exames e Preços
    Textos Técnicos
    Alergia
    DNA
    Download
    CD-ROM Atlas
    CEPAV Kids
 
  Tour Virtual


  
 
 
Atendimento On-line
Informativo Semestral do CEPAV Laboratórios – Ano 5 nº 7 – Julho 2006
 
Edições Anteriores:   [1] [2] [3] [4] [5] [6] [7] [8]

No mês de outubro de 2005, o Grupo Cepav completou 20 anos de dedicação à Medicina Veterinária, sempre trazendo o que há de mais moderno e diferenciado para a área de diagnósticos. Em comemoração a esta data o Cepav News trata de um assunto muito importante para a clínica veterinária: a ALERGIA, falando sobre as principais causas deste tipo de afecção, bem como seu diagnóstico e controle.
Para isso, não podemos deixar de mencionar o SPOT TEST, o mais moderno e preciso método de diagnóstico das alergias. Através de uma parceria de longo prazo com a empresa americana Spectrum Labs, os Laboratórios CEPAV disponibilizaram este serviço a seus clientes, com grande sucesso. Baseado nos resultados deste teste elaboramos o tratamento de IMUNOTERAPIA para hipossensibilização, que controla a alergia de forma eficaz e totalmente segura para o animal de estimação.
O Grupo Cepav fundou, em 1998, uma nova divisão: a CEPAV PHARMA, destinada à produção de medicamentos veterinários. Hoje nossos produtos são consagrados no mercado por sua qualidade. E a melhor maneira de retribuirmos a confiança dos médicos veterinários e demais profissionais dedicados à saúde animal é a constante busca por criar valores diferenciados, oferecendo produtos e serviços que estejam sempre posicionados em um patamar de destaque.

Mauro Bleich

ALERGIA – A causa mais comum de visitas aos consultórios veterinários.

Alergia é um estado de reação exacerbado do sistema imunológico a agentes distintos, determinada por predisposição genética com desenvolvimento espontâneo. É desencadeada através de exposições freqüentes a estes agentes, que podem ser: ácaros de pó, fungos, bolores, alimentos, agentes químicos, entre outros. Quando estes agentes são capazes de desencadear um processo alérgico, recebem a denominação de alérgenos, portanto, qualquer substância pode ser um alérgeno em potencial.
Dentre as diversas modalidades de expressão das alergias, podemos citar como as mais comuns a atopia, a dermatite alérgica à picada de pulgas (DAPP), a hipersensibilidade alimentar e as símdromes respiratórias, como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).
As manifestações dermatológicas mais comumente encontradas em pacientes da espécie canina são: prurido de intensidade variável com tendência à cronicidade e piora, infecções primárias ou secundárias por agentes bacterianos e/ou leveduriformes, lignificação, hiperpigmentação, queilite, blefarite, seborréia e escarificação.
As doenças tireoideanas, infecções de pele, picadas de pulgas e micoses podem causar sintomas semelhantes aos da alergia, portanto, um diagnóstico preciso e confiável possui inestimável importância.

 

TESTE SPOT – O avanço no Diagnóstico das Alergias

O CEPAV Laboratórios implantou, com pioneirismo no Brasil, em 1992, a tecnologia RAST para o diagnóstico de alergias em cães, gatos e cavalos, e em 1998, trouxe uma nova tecnologia: o Teste SPOT.
A tecnologia SPOT tem como principais vantagens sua praticidade e uma grande confiabilidade nos resultados, já que reúne dois dos principais métodos laboratoriais para a detecção de imonuglobulinas IgE: o Radioimunoensaio e o Imunoensaioenzimático.

O Teste SPOT mede os níveis das imunoglobulinas IgE específicas, que estão aumentadas nos casos de alergia, removendo imunoglobulinas IgE inespecíficas, aumentadas na presença de helmintos, e também IgG circulantes, que podem alterar os resultados do exame.
Este teste é alérgeno-específico, portanto, é realizado para que sejam identificados os diversos tipos de alergia. Se o seu animal for alérgico a pó, o teste identificará níveis aumentados de imunoglobulinas IgE específicas para tal alérgeno na amostra de sangue coletada.São testados 91 alérgenos, incluindo vários tipos de alimentos, gramíneas, arbustos, ervas, árvores, fungos, bolores, epitélios, inalantes e contactantes.    

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMUNOTERAPIA – A Forma mais Segura para o Controle da Alergia

 

É possível controlar o problema?

Sim. Existe um consenso sobre o fato de que as alergias podem ser controladas, mas não curadas. A imunoterapia é a forma mais segura para o controle dos sintomas da alergia, visto que as reações a esse tipo de tratamento são muito raras. Ela é formulada individualmente, com base nos resultados do Teste SPOT e faz com que haja um aumento no limiar de tolerância do paciente frente aos alérgenos, reduzindo significativamente os sintomas da alergia e, em alguns casos, até eliminando-os.
Para obtenção de melhores resultados, deve-se evitar o contato do animal com as substâncias às quais ele é sabidamente sensível.
Uma vez que os alérgenos alimentares não podem ser utilizados como componentes da imunoterapia, o paciente deve seguir uma dieta restritiva, excluindo os alimentos para os quais ele é considerado alérgico no Teste SPOT.
É de extrema importância que doenças concomitantes como, por exemplo, piodermites superficiais e/ou profundas, infecções fúngicas e principalmente, os problemas tireoideanos, sejam diagnosticadas e tratadas antes do início da imunoterapia. Além disso, sempre que possível, deve-se evitar a utilização de corticosteróides, pois esta classe de medicamentos poderá interferir na avaliação do tratamento.


   

 

 

 

Como é aplicada a Imunoterapia?

O processo de hipossensibilização é simples e envolve a administração subcutânea de pequenas doses da imunoterapia, que devem ser aumentadas gradualmente. Ao longo do tratamento, o sistema imune do animal deve alcançar um determinado limiar, tornando o organismo capaz de controlar os sinais da alergia. Como esse limiar varia de um paciente para outro, alguns ajustes de dosagem podem ser necessários durante o tratamento, de acordo com a resposta imunológica individual do animal.

Qual a freqüência do tratamento?

No início da imunoterapia, as aplicações são feitas a cada dois dias e esse intervalo vai aumentando, progressivamente, até chegar a uma aplicação a cada 20 dias (Tabela 1). Desde que a doença de pele de seu animal esteja bem controlada, ele necessitará somente uma aplicação a cada 20 dias.

 

Quais os resultados esperados?
Ao contrário das outras formas de controle da alergia, a imunoterapia é um tratamento de longo prazo. A decisão por seguir o caminho da hipossensibilização deve ser feita pela sua eficácia, segurança e ausência de efeitos colaterais e tem como recompensas a saúde e o conforto do animal.
Uma melhora nos sintomas da alergia é, alcançada geralmente após 3 a 5 meses de tratamento,  período que também pode variar de um paciente para o outro. Alguns animais respondem à hipossensibilização bem mais cedo, porém, outros podem levar um tempo maior para alcançar uma resposta satisfatória.
Os mecanismos de ação da imunoterapia e sua conseqüências na produção de imunoglobulinas em relação ao limiar de sensibilidade do paciente estão ilustrados no Gráfico 1.

 

 
CEPAV PHARMA LTDA.
Rua Dom Bento Pickel, 605
Casa Verde Alta - São Paulo - SP.
CEP. 02544-000
Tel.: (11) 3872-2111
CEPAV - Centro de Patologia Clínica Veterinária Ltda.
Rua Tanabi, 185
Água Branca - São Paulo - SP.
CEP. 05002-010
Tel.: (11) 3872-9553

Copyright - CEPAV, 2009. Todos os direitos reservados