CLIQUE AQUI...
 
TEXTOS TÉCNICOS    
 
 
  CEPAV Menu
    CEPAV News
    Assessoria
    Exames e Preços
    Textos Técnicos
    Alergia
    DNA
    Download
    CD-ROM Atlas
    CEPAV Kids
 
  Tour Virtual


  
 
 
Atendimento On-line
Imunodeficiência Severa Combinada do Árabe
 

Imunodeficiência Severa Combinada em Cavalos Árabes (SCID) já pode ser Diagnosticada Através do Exame de DNA

Laboratórios CEPAV

INTRODUÇÃO

A imunodeficiência severa combinada dos cavalos árabes (SCID) é uma doença quase sempre fatal causada por um gene recessivo defeituoso que causa uma incapacidade do potro em combater infecções, levando animal quase sempre à morte em alguns meses de vida e após um grande sofrimento.

Através das modernas técnicas de diagnóstico de doenças genéticas através da análise do DNA, já é possível verificar se cavalos da raça árabe tem no seu sangue o gene causador desta doença.

A DOENÇA : A Imunodeficiência severa combinada (SCID) é uma doença que ocorre em humanos, cães, ratos além dos eqüinos e que é caracterizada pela falta de imunidade humoral e celular mediada. Em eqüinos, a SCID foi primeiramente diagnosticada em cavalos árabes em 1973 por McGuire e Poppie. Em 1980 foi descoberto que esta doença era causada por um gene recessivo. Esta síndrome nos potros é caracterizada por uma diminuição dos glóbulos brancos, deficiência de imunoglobulinas e diminuição da atividade do timo, que é o órgão responsável pela produção das células de defesa de maior importância no organismo chamadas de "linfócitos".

A morte do potro quase sempre se dá até no máximo o quinto mês de vida, por uma variedade de infecções tais como: hepatite, diarréias e infeções bacterianas e virais em vários órgãos. Estes potros vem a óbito, mesmo após serem submetidos aos tratamentos de eleição para estas doenças, pois o sistema imunológico não é capaz de responder a estas infecções.

O TESTE DE DNA IDENTIFICA ANIMAIS PORTADORES DO GENE DEFEITUOSO

A partir de Julho de 1997, o CEPAV LABORATÓRIOS - Tecnologia em Saúde Animal, colocou à disposição dos Médicos Veterinários e criadores de cavalos árabes, o primeiro teste para detectar a presença do gene causador desta doença

Este teste foi designado para se conseguir de uma maneira fácil e confiável, determinar se o animal é normal, afetado pela doença ou um portador do gene.

COLETA DO MATERIAL: O CEPAV LABORATÓRIOS desenvolveu um sistema de coleta de material utilizando uma "escova de nylon" com cerdas muito macias, que é esfregado na bochecha do animal em movimentos rotatórios, fazendo com que as células da bochecha fiquem grudadas nesta escova. Após a coleta, o material pode ser encaminhado ao laboratório via correio normal.

COMO INTERPRETAR OS RESULTADOS

Baseado nos resultados, existem várias estratégias de cruzamento recomendadas para se evitar que um número cada vez maior de animais venham a ser afetados por esta terrível enfermidade.

Existem três possibilidades para resultados do teste: "Livre", "Portador" e "Afetado". Segue abaixo a descrição do significado de cada resultado.

  • Livre: Este resultado indica que o gene não está presente em seu cavalo, portanto, quando utilizado na reprodução, o animal não transmitirá a doença genética.
  • Portador: Este resultado indica que uma "cópia" do gene da doença está presente no seu cavalo, mas ele não irá mostrar os sintomas da doença. "Portadores" não tem a doença clínica. Cavalos "portadores" podem ser mantidos sem nenhum receio do desenvolvimento da doença, mas se entrarem em reprodução, poderão transmitir o gene da doença em 50 % das vezes.
  • Afetado: Este resultado indica que duas "cópias" do gene da doença estão presentes no cavalo. Infelizmente o animal apresentará os sintomas da doença. Tratamentos apropriados devem ser realizados pelo Médico Veterinário.

ESTRATÉGIAS DE CRUZAMENTO

Os resultados dos testes de DNA podem ser extremamente valiosos no desenvolvimento e melhora do seu programa de criação. A tabela abaixo mostra as implicações de várias combinações de cruzamentos.

Lembre-se que é sempre melhor cruzar animais ""livres"" do gene para a Sindrome da Imunodeficiência Adquirida do Cavalo Árabe. Se esta estratégia de cruzamento for seguida pelos criadores, irá reduzir significativamente a frequência da doença para futuras gerações de equinos.

Combinações de Cruzamento Macho livre Macho portador
Fêmea livre 100% livre 50/50 portador/livre
Fêmea portadora 50/50 portador/livre  

Cruzamento ideal: Potros não terão a doença e nem serão "portadores" do gene.

Cruzamento é seguro: Potros não serão afetados pela doença, embora alguns potros poderão se tornar "portadores". É recomendado que cavalos "portadores" sejam cruzados com cavalos "livres", produzindo 50 % de animais "portadores" e 50 % de animais "livres". Todas as crias subsequentes devem ser testadas para a doença e se possível, somente animais "livres" devem ser cruzados.

Cruzamento de alto risco: Alguns potros serão "Portadores" e alguns serão afetados pela doença. Embora seja possível que alguns destes potros possam ser "Livres", geralmente nenhum cruzamento do tipo "Portador e "Portador" deva ser recomendado.

Para maiores informações entre em contato com nosso Departamento de Genética Molecular através do telefone (011) 3872-9553

 

 
CEPAV PHARMA LTDA.
Rua Dom Bento Pickel, 605
Casa Verde Alta - São Paulo - SP.
CEP. 02544-000
Tel.: (11) 3872-2111
CEPAV - Centro de Patologia Clínica Veterinária Ltda.
Rua Tanabi, 185
Água Branca - São Paulo - SP.
CEP. 05002-010
Tel.: (11) 3872-9553

Copyright - CEPAV, 2009. Todos os direitos reservados